28 May 2010

AMES- Teresina organiza delegação ao IV ENOET

Em decorrência das poucas oportunidades de ingresso no ensino superior por conta do número insuficiente de vagas nas universidade públicas, há uma procura cada vez maior pelo ensino técnico profissionalizante.Porém, as escolas técinas e tecnológicas do nosso país ainda não oferecem uma educação de qualidade, pois ainda apresentam diversos problemas, tais como por exemplo: falta de materiais didático, professores, laboratórios, etc.
Diante disso, se faz cada vez mais importante a organização e luta dos estudantes dentro das escolas técnicas, pois apenas dessa forma é possível mudar essa realidade.Por conta disso é que nos dias 15 e de 16 de maio de 2010, na cidade de Belém-PA, a diretoria de escolas tècnicas da UBES- União Brasileira de Estudantes Secundariastas juntamente com a UJR- União da Juventude Rebelião realizaram o IV ENOET- Encontro Norte e Nordeste de Estudantes de Escolas Técnicas e Tecnógicas,que contou com a participação de cerca de 300 estudantes vvindos de diversos estados.
Nos seus dois dias, o encontro foi regado de bastante debate e de muitas propostas, e temas como o financiamento, assistência estudantil, regulamentação profissional e democracia interna também foram bastante debatidos pelos estudantes, que colocaram a realidade de cada escola em todos os estados.Além disso, as escolas técnicas estaduais também foram discutidas, pois enfrentam problemas muito maiores do que os institutos federais.
A AMES- Teresina organizou uma grandiosa bancada para participar do IV ENOET, composta por alunos do IFPI e também pelos alunos das escolas técnicas estaduais PREMEN- Sul e PREMEN- Norte, que tiveram uma intensa participação em todos os debates do evento.Em consequencia disso, o estado do Piauí foi escolhido para sediar o V ENOET no ano de 2011.

É necessário perceber qual a importancia que vai ser a realização do V ENOET em nosso estado, pois vai representar mais um passo no sentido da luta para conquistarmos uma educação técnica que seja realmente de qualidade.

25 May 2010

AMES- Teresina REPUDIA O AUMENTO DA PASSAGEM


No último dia 15 de, a população da Teresina sofreu uma grande golpe: o aumento da tarifa do trasporte coletivo da cidade que passou de 1,75 para 1,90 na calada da noite e sem nenhuma discussão com os usuários. O SETUT- Sindicato das empresas do transporte coletivo de Teresina usou como justificativa para o aumento o reajuste do salário dos trabalhadores rodoviários.
Porém, a verdade é que nada justifica o valor da passagem de ônibus em Teresina, visto a longa espera nas paradas, e as péssimas condições da frota que circula na capital.O alto preço da passagem também faz com que centenas da trabalhadores e estudantes se desloquem quilômetros à pé ou de bicicleta todos os dias por não o dinheiro para pagar a sua passagem.Além disso, os trabalhadores continuam a receber baixos salários enquanto os empresários lucram cada vez mais às custas do suor dos que trabalham.
Portanto a AMES-Teresina repudia o aumento das passagens e reafirma a sua luta pelos direitos dos estudantes e do povo.

05 May 2010

600 Estudantes vão as ruas em Teresina.

No mês de março realizaram-se dois protestos na capital Piauiense, na qual os estudantes organizados pela Ames - Teresina e a UJR - União da Juventude Rebelião estiveram presentes nas ruas, fazendo suas denúncias e reivindicando seus direitos.

O primeiro, no dia 15 de Abril de 2010, em uma audiência pública ocorrida na câmara de vereadores de Teresina, onde os representantes da AMES - Teresina, a UJR e outras lideranças Estudantis, falaram em defesa da Carteira Estudantil e seu controle pelas entidades estudantis, já que hoje está nas mãos da prefeitura e a instalação da CPI na CMEIE (Comissão Expedidora de Identificação Estudantil) para investigar para onde foi dinheiro das carteirinhas, redução do valor das Carteiras para R$ 10,00. Já que, conquistamos a redução em 2009/2010 que foi de R$16,00 para R$14,40.

O segundo protesto foi no dia 25 de Março. Os estudantes percorreram as ruas do centro de Teresina até chegarem ao Palácio do Karnak (sede do Governo do Piauí). Estiveram presente cerca de 600 estudantes das escolas: João Clímaco, Liceu Piauiense, Barão de Gurgueia; José Amável, Joca Vieira, IFPI etc. Dessa vez além da carteira estudantil, a luta foi em defesa da educação, pois se encontra bastante distante de uma boa qualidade, tanto é que faltam: ventiladores ou ar-condicionados nas salas de aula, merenda, reforma nas quadras de esporte e material para prática esportiva, livros para-didáticos, e os alunos são obrigados a pagar por cópia de textos e pelas provas realizadas a cada bimestre.
Através de cartazes, jornais e debates realizados nas escolas a AMES realizou uma grande campanha de conscientização a cerca do PNDH3 (Plano Nacional dos Direitos Humanos 3), o uso do dinheiro do pré-sal para investir na educação, bem como as demais bandeiras da jornada nacional de março “ Edson Luis Vive”.
Como resultado da jornada, a câmara de vereadores analisa a instalação da CPI da CMEIE; a SEDUC (Secretária de Educação do Piauí), recebeu uma comissão de estudantes, ouviu as reivindicações e se comprometeu apenas a resolver os problemas dos ventiladores e merenda escolar, e as demais situações a secretária disse que o governo não tem dinheiro para investir nas escolas. Que vergonha! Apesar da repercussão nas TV´s e Jornais escritos de nosso estado, a cerca da crise na educação, nada disso foi o bastante para o governo do Piauí ligado aos partidos PT/PSB/PCdoB/PMDB/PTB, mudarem de postura em relação ao descaso em que se encontra o ensino oferecido aos filhos dos trabalhadores Piauienses. Para nós estudantes fica a certeza de que a luta deve continuar, e que voltaremos às ruas e venceremos.

Amanda Augusta
Presidente da AMES-TERESINA e MILITANTE da UJR- União da Juventude Rebelião PI/MA