02 August 2011

AMES e UJR organizarão debates sobre a importancia da luta das mulheres!

Em nosso país, as mulheres somam mais de 97 milhoẽs de habitantes, o que significa mais da metade da população brasileira. Mesmo assim, estão entre os que mais sofrem. É comum ouvirmos que para se ter um bom emprego é necessário apenas que se tenha uma boa qualificação profissional, o que na verdade não funciona, principalmente quando se trata das mulheres. Segundo o IBGE, as mulheres passam mais tempo nas escolas que os homens e mesmo assim recebem menos que aqueles que ocupam a mesma função( 73% do salário dos homens), uma grande contradição.
Além disso sofrem com a dupla jornada de trabalho, falta de creches, restaurantes e lavanderias comunitárias, além da violência doméstica, presente na vida de milhões de mulheres em nosso país.
Diante desse quadro, espera-se que seja grande a participação das mulheres nas lutas, mas o que ainda acontece é exatamente o contrário. A participação das mulheres nos sindicatos e outros espaços de luta ainda é muito pequeno se comparado à seu número e quantidade de reivindicações, pois muitas mulheres precisam enfrentar ainda o preconceito e o machismo, o que as afasta muito da organizações de suas lutas.
Nesse sentido se faz cada vez mais urgente a organização das mulheres para destruir esse sistema, o capitalismo, que as explora e lhes tira a dignidade, e construir uma sociedade mais justa e de verdadeira igualdade entre os seres humanos, sejam homens ou mulheres.




11 July 2011

Ames – Teresina e União da Juventude Rebelião Vão às ruas e impedem o aumento das passagens!




Teresina possui hoje uma das piores frotas de ônibus do país, mas os empresários insistem em tentar aumentar as tarifas das passagens anualmente. No entanto, não propõem nenhuma mudança na qualidade das frotas e nem resolver o problema da superlotação e atrasos dos coletivos. E o pior, não temos sistema de transporte integrado e os passageiros que precisam pegar mais de um ônibus pagam várias passagens.
No mês de julho deste ano, a população recebeu a noticia de
mais um possível aumento do preço das passagens de ônibus, até então de R$ 1,90 passando para o valor abusivo de 2,40, o que significaria um acréscimo de 24%, muito superior ao aumento do valor do salário mínimo e da inflação, que este ano chegou a 6,5%. A única justificativa é a sede de lucro dos empresários, que querem ficar cada vez mais ricos à custa do dinheiro dos trabalhadores e estudantes.
Em repúdio a esse aumento, no dia 30 de junho a Associação Municipal dos Estudantes Secundaristas
de Teresina (AMES – Teresina) e a União da Juventude Rebelião (UJR) tomaram a frente das lutas e organizaram um protesto, mobilizando estudantes das escolas: Benjamin Baptista, João Clímaco, Liceu Piauiense e Barão de Gurguéia, Anísio de Abreu, Danthe, todas situadas no centro da cidade. Com cerca de 200 estudantes, seguiu em passeata pelas ruas do centro em direção a Prefeitura cantando palavras de ordem como: "O povo não é bobo R$2,40 é roubo" e “Se a passagem aumentar, a catraca eu vou pular”. A passeata teve total apoio da população que acenava nos prédios, aderia-se a ela em muitos momentos e os trabalhadores, que pegavam o microfone para denunciar e demonstrar seu repúdio.

Chegando à prefeitura da cidade, os estudantes se depararam com vários policiais fazendo um cerco na entrada do prédio. Mesmo assim, foi decidido que ninguém sairia de lá até que fossem atendidos pelo senhor Elmano Férrer, prefeito da cidade. Após muita insistência dos estudantes que não desanimavam, conseguiram que uma comissão com representantes da Ames – Teresina, UJR e estudantes de todas as escolas presentes fosse recebida pelo chefe de segurança da casa. A passeata teve vários resultados, entre eles uma reunião com a comissão para discutir sobre o tema com o Secretario de Governo, e a conquista do congelamento do preço das passagens.


Rubem Ilicht- Militante da UJR.

29 April 2011

Encontro Nacional elege a primeira diretoria da Federação Nacional dos Estudantes de Escolas Técnicas

O Encontro Nacional de Estudantes de Escolas Técnicas foi um sucesso com grande representatividade com mais de 400 estudantes que se reuniram por 4 dias para debater a situação da escolas técnicas e o papel da juventude na transformação do país.
Após muito debate, muitas intervenções, percebeu a necessidade de um fórum permanente de defesa do ensino técnico. Para cumprir essa tarefa os grêmios presentes se reuniram na sexta-feira a noite e decidiram fundar a FENET (Federação Nacional dos Estudantes de Escolas Técnicas), na manhã de sábado foram feitos oito grupos de debates que discutiam simultaneamente a fundação da entidade e além concordar com os grêmios fizeram propostas estatutárias, regimentar e de muita luta para a Federação ainda em parto.
Na plenária geral foram debatidas as discordâncias e por votação de maioria simples foi decidido o rumo da entidade. Foi lida uma carta da entidade com as reivindicações dos estudantes e saudações aos grêmios que participaram do encontro, carta essa aprovada por aclamação e que será publica neste blog.

Eleição da diretoria de fundação do FENET

Logo em seguida, chamado nome a nome pelo primeiro vice presidente da UBES, Gregorio Goudi, foi eleita por aclamação a diretoria da FENET: Carolina Sarmento-IFPA, Fábio-IFCE, Tamires-CEFET-MG (Cordenadoria Geral); Carlos Henrique-ISERJ, Alisson-IFPE (Tesouraria); Raphael Almeida-IFRJ, Breno-IFMG (Comunicação); Talita Firmino-IFAL, Alberto-IFRN (Secretaria Geral); Michele-ETEJM, João Paulo-IFPE (Políticas Estudantis) e Josiane-JK, Geraldo-IFRN (Suplente).